Campinense confirma que a saída de Canindé foi motivada pela "crise inevitável" vivida pelo clube

A diretoria do Campinense se manifestou, através de nota oficial, sobre a saída do técnico Oliveira Canindé, confirmada nesse sábado pelo treinador e pelo clube. De acordo com o documento emitido pela diretoria rubro-negra, a crise financeira enfrentada sobretudo neste momento de paralisação do futebol - por conta da pandemia do novo coronavírus - foi mesmo o que motivou o fim da parceria entre o técnico e o clube.

Segunda passagem de Oliveira Canindé pelo Campinense foi encerrada após oito jogos — Foto: Samy Oliveira / Campinense

Segunda passagem de Oliveira Canindé pelo Campinense foi encerrada após oito jogos — Foto: Samy Oliveira / Campinense

Quem primeiro comunicou ao GloboEsporte.com o fim dessa segunda passagem de Canindé pelo Campinense foi o próprio treinador. Ele informou que, como o clube não estava em condições de pagar o seu salário, o presidente Paulo Gervany entrou em contato para um diálogo e, em comum acordo, a parceria foi desfeita.

Na nota, o Campinense cita "os impactos econômicos" para justificar a saída de Canindé, que a diretoria define como "uma indesejada interrupção" do trabalho do clube, visando a temporada 2020. Ainda no documento, a Raposa agradece ao treinador pelos serviços prestados e mantém o tom de preocupação sobre que medidas devem ser tomadas para tentar arcar com os custos provenientes da continuação do Campeonato Paraibano (interrompido há mais de dois meses) e para a disputa da Série D do Campeonato Brasileiro - as duas competições seguem sem datas definidas.

Canindé deixa o Campinense após comandar o time em oito jogos nesta temporada, sendo sete pelo estadual e um pela Copa do Brasil. Nessas partidas, o treinador acumulou quatro vitórias, dois empates e duas derrotas, totalizando um aproveitamento de 58,33%. Sob o comando do treinador, a Raposa foi eliminada da Copa do Brasil após jogar melhor, mas empatar sem gols com o Atlético-MG, e está com a classificação muito bem encaminhada no Campeonato Paraibano.

Confira a nota oficial do Campinense:

O Campinense Clube comunica que, em razão dos impactos econômicos causados pela pandemia do novo coronavírus, o projeto da diretoria executiva teve que sofrer uma indesejada interrupção.

Agora, será preciso repensar e alterar algumas questões para que consigamos manter um patamar possível de ser arcado, visando o planejamento para a volta do Campeonato Paraibano e a disputa do Campeonato Brasileiro Série D, ainda com datas incertas.

Depois de algumas conversas, a diretoria rubro-negra comunica o desligamento, em comum acordo, do técnico Oliveira Canindé.

Canindé vinha realizando um trabalho excelente, mas que, infelizmente teve que ser interrompido por uma crise inevitável que atingiu o futebol brasileiro e mundial.

A diretoria agradece os serviços prestados e deseja o melhor no prosseguimento de sua carreira profissional.

Situação complicada

A crise financeira vivida pelo Campinense já vem de temporadas anteriores, mas se agravou com a pandemia do novo coronavírus, que acarretou a paralisação do futebol em todo o Brasil. Sem a entrada de dinheiro a partir das rendas dos jogos e tendo que arcar com pagamentos de salários em meio à suspensão das atividades, o cenário ficou ainda mais complicado.

Algumas medidas foram tomadas, como a suspensão parcial ou total de contratos de jogadores e funcionários, valendo-se de Medida Provisória do Governo Federal. Ainda assim, o clube tenta se estabilizar minimamente para lidar com esse caos financeiro.

Categoria:PARAÍBA